08 fevereiro 2009

2 poemas de Sophia

DATA

Tempo de solidão e de incerteza
Tempo de medo e tempo de traição
Tempo de injustiça e de vileza
Tempo de negação
Tempo de covardia e tempo de ira
Tempo de mascarada e de mentira
Tempo de escravidão
Tempo dos coniventes sem cadastro
Tempo de silêncio e de mordaça
Tempo onde o sangue não tem rasto
Tempo da ameaça



Sophia e escritores seus contemporâneos, aqui



PORQUE

Porque os outros se mascaram mas tu não
Porque os outros usam a virtude
Para comprar o que não tem perdão.
Porque os outros têm medo mas tu não.

Porque os outros são os túmulos caiados
Onde germina calada a podridão.
Porque os outros se calam mas tu não.

Porque os outros se compram e se vendem
E os seus gestos dão sempre dividendo.
Porque os outros são hábeis mas tu não.

Porque os outros vão à sombra dos abrigos
E tu vais de mãos dadas com os perigos.
Porque os outros calculam mas tu não.


no desenho: link para uma entrevista

al

2 comentários:

Tiago Martins disse...

tiago martins, 12ºc disse...
Poemas que tocam uma pessoa naquele sítio inatingível que só alguns autores conseguem. Excelentes, mesmo!

Agora um off-topic: Muitos Parabéns pela visita 10000!! (escrevo na condição de 10001 :D)
Parece que sim, que continua pessoal a gostar aqui do blog mesmo que seja algo um pouco a dar para o intimista - e com razão!

Beijinhos, felicidades e que venham muitos outros 10000!!

Quinta-feira, 29 Janeiro, 2009

al disse...

Olá Tiago, Amigo fiel:
obrigada pelas tuas palavras, tão reconfortantes..
Outros 10000, acho q não.. estou a deixar aqui as últimas 'paixões imprescindíveis'. Mas sabes como é quando se chega a um ponto em que já nada ...... é aí q eu estou
bjis, obrigada pelo teu apoio
ana

Quinta-feira, 29 Janeiro, 2009