23 fevereiro 2009

a literatura, as paixões: em volta de um personagem

pensei: que Homem inteiro, autêntico, este, que assim consegue entrar na alma de uma mulher. as/os? leitoras vestindo-lhe a pele, amando, sofrendo, fugindo. e de repente sou ela, naquelas ruas naquele barco naqueles braços.

é ela e é criminosa. é ela e é traficante. é teresa e eu quero ser ela, na prisão na casa no barco, sofrendo amando fugindo.
e os livros. os livros. os livros. a luz gris de l'alba.
a paixão mais paixão.
um galego que morre e a dor, a dor, a dor.
a dor infinita, a impossível dor. e morta renasce.
é ela, sou eu.
eu, para sempre, ela.
passado, futuro, ela, eu.


al
dp de ' a rainha do sul ' , de Pérez-Reverte

3 comentários:

Cá ઇ‍ઉ disse...

Eu gosto de gostar daqueles textos que normalmente ninguem repara... e gosto de tirar as minhas conclusoes de coisas q nng qer ler...
Gostei especialmente deste ;)

al disse...

obrigada, Carla, eu sei que tu és uma romântica.. e tb tenho ido ler o q escreves no teu cantinho: tão bonito, tão triste, tão sentido..
bjis

Teresa disse...

MUDA
ste... DEPOIS, pois... mas era ANTES também. Muito. E é, para sempre, ela. Sou eu, Ana, Teresa. És Tu.

Obrigada............................