08 dezembro 2009

"Exílio" ( Sophia, sempre!)

Exílio

Quando a pátria que temos não a temos
Perdida por silêncio e por renúncia
Até a voz do mar se torna exílio
E a luz que nos rodeia é como grades.

(in "Livro Sexto")

1 comentário:

silvia disse...

E ainda Sophia

Cantaremos o desencontro:
O limiar e o linear perdidos

Cantaremos o desencontro:
A vida errada num país errado
Novos ratos mostram a avidez antiga.

besitos