27 novembro 2009

oser penser, oser parler, oser agir (*)

foram 4 intermináveis anos. começámos a lutar tarde, demasiado tarde. mas lutámos. as nossas lutas terão sido demasiado brandas.. sacrificámos dias de descanso para nos manifestarmos, e houve (há de novo) , quem nos chamasse hooligans, arruaceiros, inúteis..
cansados, tolhidos, baixámos os braços, muito, muitos.
acreditámos em promessas, recuos, tréguas. caímos.
hoje a força perdida, o desgaste. ousaremos ainda?


foto do Teodoro, retirada daqui

ao que li aqui, a inscrição está na parede de um cemitério - premonições do fotógrafo?

 


(*) 
capa de um LP de Léo Ferré
(ver mais LF e etc.. aqui)

3 comentários:

Belga disse...

A poesia é sempre forte, mais forte. Não é?

teodoro disse...

A inscrição está lá, não como sonho adormentado, mas a morrer como o brilho de tanto olhar à nossa volta, a desvanecer como quem esquece a alma num molhe, lá está com o sempre sublinhado, que a torna eterna, mais certa que a vida, que não acontece quando não se escolhe.

raivaescondida disse...

O amigo Teodoro é um poeta. Belas imagens e frases. realmente parece que , tal como o título de um filme muito antigo, " E tudo o vento levou". Poderá ser o que advirá neste futuro próximo. esta Ministra terá a capacidade de tal como a da saúde de dividir e reinar doando a uns poucos a imagem que cedeu muito?