31 outubro 2009

explicações deste vento

Tenho-me dado conta que o nome deste blogue não diz nada a muita gente .. aqui fica, então, o sentido, a inspiração, do Adriano, e do poema do M. Alegre de outros tempos/ventos:





7 comentários:

Zorze disse...

"O muita gente" é muito relativo, alíás, como tudo na vida e consequentemente na morte.
O "nome", por exemplo, diz-me muito. E eu também sou gente, não muita, mas um qualquer.

Gostei de te ver, foi pena, de practicamente não termos falado.
Apesar de pelo canto do olho ter feito toda uma leitura holo-chákrica.

Beijos,
Zorze

Fado Alexandrino disse...

Por acaso tenho em vinil o primeiro disco que gravou e onde está essa canção.
Um nome muito bem escolhido, embora a dona do blog se pareça mais com um furacão do que com uma suave brisa.

al disse...

FA:
eu - parecida com um furacão???!!!

Z:
é verdade, não se proporcionou - às tantas não és fumador, não saíste da mesa...

o muita gente a q me refiro ñ tem a ver, apenas, com conclusões do jantar de ontem, é anterior a isso

Fado Alexandrino disse...

É verdade, no bom sentido do termo, um vento quente que agita tudo em redor e apoiado por um centro de altas pressões localizado no sorriso.
E por isso amanhã e mesmo depois de amanhã, vai haver bom tempo.

Zorze disse...

al,

Sou, e saí várias vezes, apenas descruzamo-nos.
O arco-da-velha tem mistérios, diremos, misteriosos.

Beijos,
Zorze

tiago andré martins disse...

Este blog e a sua autora são, repegando o que disse Fado Alexandrino, um dos ventos mais agradáveis que se podem encontrar!

al disse...

Tiago, és um querido..

mas eu estou a ficar um tanto cansada, sombria, repetitiva..

convidei algumas pessoas para serem co-autores. Interessa-te? - eu gostava muito!!

bjis