26 outubro 2009

aqui onde me encontro..

hoje: a minha arriba, a minha rua, as gaivotas que aqui vieram (re)pousar


há dias: as minhas nuvens, de madrugada ..

5 comentários:

Zorze disse...

As gaivotas, espertas, que só!
A rua tem uma energia de repouso, solitário e de descanso.
Se tivesse asas, voava para aí...
Descobrir, outro poiso...

Beijos,
Zorze

al disse...

Ah, que bonito.... e das minhas nuvens, não gostas? :-))
bjs,
ana

Zorze disse...

Gosto da photografia em si (está muito boa, merecedora de um pulitzer), principalmente das duas árvorezinhas que se vêm, lá, ao longe, no cimo do monte.
As nuvens, não diria negras, mas cinzento escuras.
Entender as nuvens cinzentas da mente, é a minha ciência, as da alma, o meu caminho.

Beijos,
Zorze

teodoro disse...

Nuvens baixas em trânsito, não demandam vento para partir, apenas fazem intermitente o sol alto permanente, se chove logo escampa, nova luz volta a colorir.

al disse...

sou agora visitada por poetas.. e gosto!