08 fevereiro 2009

a literatura, as paixões: Pérez-Reverte

Arturo Pérez - Reverte (clicar) , um dos mais mediáticos autores da actualidade, (também pela adaptação de livros seus ao cinema) , é um escritor brilhante, que, em cada livro, consegue a proeza rara de recrear um universo linguístico próprio, que adapta de forma magistral aos ambientes em que se movem os seus personagens. [Sei-o, porque foi com os seus romances que comecei a aprender espanhol, e só ao 3.º que li, La Tabla de Flandes, é que consegui identificar a linguagem dos meus amigos de Barcelona!!]

Uma das coisas que mais me fascina em Pérez Reverte (clicar para ler + informação em português), para além das elaborações filosóficas (absolutamente perturbantes, por exemplo, no romance 'O Pintor de Batalhas'), é o cuidado que põe na construção dos seus personagens, a quem logra dar vida com o carinho e a atenção de uma mãe, com a profundidade amniótica de um mar * ... sublimes, as figuras femininas, muito na linha das de Saramago.

Para além disso, há sempre, nos seus livros, um elemento de suspense e de mistério, um pouco como nos romances policiais. As tramas são urdidas com uma inteligência tal, que Pérez-Reverte consegue, ao sugerir subtilmente o desenvolvimento da narrativa, envolver-nos da primeira à última página - como uma compulsão - enquanto nos faz cúmplices (quase co- autores) das suas histórias.
* «Uno de los más grandes retos a que se enfrenta todo novelista al crear su obra es el diseño y definición de cada uno de sus caracteres, la manera de presentarlos y dotarlos de rasgos individuales, el modo de situarlos en un entorno apropiado y el saber hacerlos, si no atractivos, al menos claramente convincentes para el lector.»- JUAN CANO BALLESTA

Livros seus que recomendo vivamente (clicar para ler sinopse):

  • aqui, o seu site oficial
  • uma página muito interessante sobre Pérez Reverte, que inclui citações suas, p. ex, "El mar es el único refugio que me resta" : aqui
  • e ainda + uma página, no Dpt de línguas (clicar): sb Pérez-Reverte e outros autores de língua espanhola

al , em 13 Dez, 2008

5 comentários:

al disse...

atenção:

o pintor de batalhas, sendo um livro interessantíssimo, não é de leitura fácil - só mesmo para leitores 'compulsivos', daqueles q sofrem qdo ñ têm um bom livro para ler ..

quem quiser iniciar-se na descoberta deste escritor será melhor começar pel' 'a rainha do sul' ou 'a pele do tambor '
(empolgant-íssimos, os 2)

al

Sábado, 13 Dezembro, 2008

tiago martins, 12ºc disse...

Confesso que não li...

Mas é mais um autor a juntar à minha "to do list", agora das férias do Natal. :)

Juntamente a leituras, está a escrita que também me é uma actividade muito querida e que faço com bastante regularidade :)

Bjs!

Domingo, 14 Dezembro, 2008

Judite disse...

Ana, adoro o teu blogue e acho, sinceramente, que fazes muito mais em prol da promoção da leitura do que muitos comentadores da nossa praça!

Fico sempre cheia de vontade de ler, ler, ler sempre mais.

Os teus comentários são emotivos e revelam um grande conhecimento dos livros e da magia de ler!

Parabéns.

Judite

Domingo, 14 Dezembro, 2008

ana lima disse...

olá judite, obrigada!! o esagbib ñ é propriamente meu ... continuo a pôr cá coisas,

porque tem havido 'retorno', nomeada/ de alunos,

pq me entusiasma a partilha de paixões,

porque é tb uma reacção a isto q querem fazer de nós: entertainers invertebrados, acríticos, submissos, pobres de espírito.

os profs têm de ser cultos e informados, têm de tentar criar o gosto pela cultura, têm de ser interventivos e entusiasmados com o que acontece de novo pelo mundo -seja nas letras, na música, nas artes, na ciência...

eu faço o q posso, ainda q ñ me dêem horas para isto.

mas faço-o por gosto - contra a corrente, muito por rebeldia (podia ter um blogue meu..)

será q dá para perceber isto q parece tão antagónico?!


bjis, mais uma vez obrigada.

vês? são incentivos assim q me levam a continuar..

al

isto de ñ usar maiúsculas está 'na moda', e além disso, tenho uma mão ocupada a segurar a haste solta dos óculos :-)))))


Domingo, 14 Dezembro, 2008

Anónimo disse...

a rainha do sul foi o primeiro livro que li em espanhol.

começa assim: "quando sonó el teléfono supe que la íban a matar."

já sabia que eram apaixonantes os romances do P.Reverte, pelo 'a pele do tambor'..

'a rainha do sul' foi também, em toda a minha vida de leitora apaixonada, o único livro' que reli de imediato: assim, da última página logo logo de volta à primeira, como se não quisesse sair daquele mundo encantatório onde P-Reverte me tinha mantido, numa espiral de prazer que percorri e percorri e percorri.

pensei: que Homem inteiro, autêntico, este, que assim consegue entrar na alma de uma mulher. as/os? leitoras vestindo-lhe a pele, amando, sofrendo, fugindo. e de repente sou ela, naquelas ruas naquele barco naqueles braços.

é ela e é criminosa. é ela e é traficante. é teresa e eu quero ser ela, na prisão na casa no barco, sofrendo amando fugindo.

e os livros. os livros. os livros. a luz gris de l'alba.
a paixão mais paixão.
um galego que morre e a dor, a dor, a dor.
a dor infinita, a impossível dor. e morta renasce.
é ela, sou eu, eu.
para sempre, ela.
passado, futuro, ela, eu.


al