07 fevereiro 2009

homenagem ao Zeca em Madrid

Curtindo uma gripe e a nostalgia, aqui fica um post recheado de boas músicas. Vão clicando, e deliciem-se ...

ASP-Lusa-JN- Madrid, 11 Nov 2008 - Os 20 anos da morte de Zeca Afonso serviram na passada segunda-feira à noite de pano de fundo para um debate em Madrid (no âmbito da VI Mostra da Cultura Portuguesa - post 27 out) sobre o papel da música nas transições para a democracia em Portugal e Espanha. O debate foi protagonizado, entre outros, pelos músicos Luis Pastor e Júlio Pereira.

Luis Pastor (clicar para ouvir: 'cantautor extremeño' -lindo!) , o músico espanhol que mais cantou Zeca Afonso - e que também se tornou famoso pela sua obra política e de intervenção - recordou que "Havia muitos músicos e muitos artistas espanhóis que não conheciam Zeca Afonso e a sua obra. "
"Mas quem ouvia pela primeira vez, a lírica, a música, enamorava-se", recordou (clicar aqui para ouvir: Canção de embalar).
"Acabou por ter um impacto tremendo tanto entre os músicos espanhóis como entre o público. E acabou por ser a porta de entrada para se conhecerem outras vozes portuguesas da altura", disse. [clicar aqui - post 25 Abril 08- para ouvir uma selecção da melhor música que por cá se fazia]
Para Luis Pastor, "numa época em que a música começou a ser vista como uma arma, Zeca Afonso surge como referencial obrigatório, a nível moral e de compromisso" - tanto no espaço ibérico, como fora dele. "Era um homem contra a corrente, mas que recuperava a canção popular, um professor, um pedagogo", sublinhou.
"Tudo é redutor quando se fala de Zeca Afonso", acrescentou o músico português Júlio Pereira (clicar no nome para ouvir uma actuação espantosa!), destacando a vontade de José Afonso de exportar o que era a cultura portuguesa para outros espaços.

João de Melo (clicar nas palavras sublinhadas), 'pai' da Mostra Portuguesa e conselheiro cultural da embaixada de Portugal em Madrid, (clicar também aqui para ver programa, em pdf), rematou o debate recordando a importância que Zeca Afonso teve na formação da consciência de todos os portugueses, tanto dentro como fora do mundo da música. "Cada um de nós tem uma história pessoal com Zeca Afonso, e hoje não me imagino a olhar para Portugal, para o que aconteceu nas últimas décadas, sem incluir Zeca Afonso", disse.


aqui
, aquela que é uma das suas músicas mais emblemáticas

a letra: aqui, em rascunho (pelo próprio) , e aqui

José Manuel Cerqueira Afonso dos Santos, que ficou conhecido como José Afonso (clicar aqui para ver animação e música, lindíssimas, as 2 -post de 25 Out) ou Zeca Afonso, foi um dos mais importantes cultores do fado de Coimbra e tornou-se depois o maior símbolo da canção de intervenção contra o regime político que se vivia em Portugal. "Um homem que", nas palavras de Júlio Pereira, "foi muito mais do que músico. Um homem que conhecia e queria saber do mundo, que era genuinamente humano. Que gostava mais das pessoas que da música"


José Afonso: Balada de Outono



a.l. (12/11/2008)

4 comentários:

Anónimo disse...

Sempre que ouço este homem vêm-me as lágrimas aos olhos.

Parabéns pelo excelente blog

Quinta-feira, 13 Novembro, 2008

al disse...

É.. a mim tb me dá uma saudade imensa...

Obrigada pelos parabéns..
Ana Lima

Quinta-feira, 13 Novembro, 2008

Tiago Martins, 12ºC disse...

Zeca Afonso, a falta que fazes nos dias que correm! Cantarias tu agora contra tudo o que se passa? Contra o mau estar? Contra os ouvidos moucos das altas gentes?

Contra tudo o que se deve ser contra? Zeca Afonso, fazes tanta falta, tanta falta... Cantam outros agora por ti, de outras formas, das formas que têm, não sendo tão dotados de canto... Cantamos todos os descontentes, por ti, substituindo-te, com nossas vezes menos cantadas, mas nem por isso menos ouvidas. Zeca Afonso, poeta, cantor, professor!

Fica aqui a minha "falta que me faz" e a pena de não ter nascido a tempo de conhecer e admirar em vida Zeca Afonso.

Quinta-feira, 13 Novembro, 2008

al disse...

Sabes que me deixas muda, Tiago?
Só posso agradecer-te, ainda, sempre.
Dizer-te que o futuro vai ter promessas, porque tu és parte dele.

Bjis, ana lima
Quinta-feira, 13 Novembro, 2008