16 janeiro 2010

the colour blue


3 comentários:

Paulo Sérgio BEJu disse...

Olá AL, eu de novo.
Desculpe, mas sou um patareco nestas coisas da tecnologia. Por isso ontem quando deixei um comentário, aparecia "anónimo". Não sei que faço, que por vezes não identifico o comentário.
Bom...mas voltemos à poesia que nos "queima" por dentro!
Encontrei uma cor, que se coaduna com o seu espaço cutâneo. Não tenho dúvidas, que um encarnado chegará, para dizer toda a cor que nos deixa impressa na retina, quando alimenta a sua página/blog.
Hoje, talvez sem intenção quisesse a AL incendiar nossos braços. Essa música vem arrebatar-nos numa intempestiva emoção. É a dança da alma desenhando, ocultando o corpo da sede, num arco-iris do coração...tonalidades de encarnado pulsante.
Essa música acompanha, um filme, funesto... Uma asa em brasa, que nos aconchega num fogo doce. O Jud L.; A Julia R.; entre outros actores.
Não sei se a música nos desenha numa vereda muito apaixonada...? Se nos afaga, num som salgado, como mar sobre uma praia muito adolescente. Como diria Seu Jorge e Carolina -´"É ISSO AÍ!!!.
Que bom, poder alimentar-me desta sua deixa... Damien Rice nos consome no sublime da vida. Talvez por isto tudo que registo aqui, lhe deixo uma música (sugestão no meu blog), também envolvente, dançante, usufrua.
Abraço, muito muito azul...anil
Entretanto fico nas manifestações do encarnado.

AL disse...

olá Beju
..
impossível não reconhecer o estilo, e a cor azul é um código ..
bjs,
ana

Ly disse...

haaa Damien Rice!!! ^_^ :D