18 dezembro 2009

A tanga

Terminará dentro de pouco tempo (se não terminou já, entretanto...) a Cimeira, ou Conferência, de Copenhaga. Esse encontro mítico entre líderes de todos os cantinhos do Mundo para discutir o ambiente e as alterações climáticas e para, e isto poderá ser um choque para muitos, tomar medidas e resoluções! E já está quase mesmo a acabar e nada ainda saiu de lá. E parece que não vai mesmo haver nenhum "neo-Kyoto" a surgir miraculosamente nos últimos minutos daquela cimeira. E isto é uma grandessíssima tanga! Para evitar palavreado mais forte. Uma tanga! Ora bem, a haver vontade de cooperação internacional para evitar o catastrófico aumento de 2º C previsto para os próximos anos, apesar de estar agendado, não acabaria hoje! Acabaria amanhã, domingo, para a semana ou para o ano (que não está muito longe, até...)! Mas não acabaria hoje. Isto é pura e simplesmente falta de vontade. Não querem prejudicar os grandes grupos económicos e depois dizem que são os países em desenvolvimento que estão com má vontade em recusar os acordos que estão em cima da mesa! Aqueles países que necessitam de desenvolver a sua indústria e as produções! Enquanto que os outros são demasiado estúpidos para tomarem uma decisão que poderia afectar positivamente todo o mundo! Mas não, para quê? Vamos só olhar para o nosso feio e sujo umbigo e deixar isto correr...

Estou, todos os dias, a receber emails com petições para serem assinadas para enviar para a Cimeira. Assino e reencaminho muitos deles, mas depois penso "para quê? Para quê tanta esperança nesse encontro, quando, desde o princípio, se vaticinava a inutilidade?" Não é não querer que nada mude, é querer que as coisas mudem para melhor e que se ponha um ponto final na questão do ambiente! Afinal não é assim tão difícil se todos nós não olharmos só ao espelho...

Imagem: "O Grito" de Edvard Munch, o que me apetece fazer em situações destas...

2 comentários:

AL disse...

também assino, também reenvio, também não tenho ilusões: sairia 'demasiado caro', quer aos EU, quer, sobretudo, à China.. o que realmente me intriga é que os 'big leaders', os 'potentados' económicos, não se incomodem com a perspectiva de que - breve, breve, vai deixar de haver mundo habitável - inclusive para eles!

TM disse...

Pois é. É verdade. E hoje, as notícias que se esperavam... Acordo "mínimo", quase inútil, sem metas nem datas definidas... Ao menos poderia haver só uma pressão para o cumprimento do de Kyoto, mas nem isso, retiraram-se as metas e agora é o poder dos "grandes"... Enfim...